sábado, 21 de julho de 2012

Trinta e um

Trinta e um

http://www.gilbertogil.com.br/sec_disco_interno.php?id=57#


E eu que sou mais um
faço tudinho igual todo dia trinta e um
E eu que sou só mais um
passo tão bem ou mal todo dia trinta e um

É que só no meu caso especial
Por acaso, do amor de dois em um
Trinta e um virou dia de natal
E dos meses, julho ganhou mais um

Hoje, portanto, dia bem comum
Vinte e sete eu vou comemorar
Entre tantas canções que eu vou cantar
Esse baião será só dejejum

(refrão)

Outros membros do clã do trinta e um
Não conheço ninguém e isso é normal
Nesse caso, então não tem zunzum
Pra que faltem amigos no sarau

Neste meu trinta e um, não leve a mal
Vou bagunçar a casa do João
Com feijuca, zueira e carnaval
E lhes chamo pra comemoração

quinta-feira, 12 de julho de 2012


Da direita ou da esquerda
que será que a gente herda?
ideais políticos
valores do cívico
ou política de merda!

Corre muito atrás de bola
Não frequenta mais a escola
O melhor do mundo?
Ter cheques com fundo
E mais nada na cachola.


Era um homem de Brasília
que empregou a sua filha,
quando descoberto
disse: - Tudo certo!
Era corno e admitia.

quarta-feira, 4 de julho de 2012


amarrar as frustrações
depende do burro
descansar na sombra

segunda-feira, 4 de junho de 2012


O Madruga

Deus me deu-me e deu-me livre
pra que fosse Seu escravo,
sendo livre sem ser pago
do trabalho Ele me livre

pra que eu seja sempre firme
que Lhe seja sempre grato
seja este o nosso trato
e num papel a gente firme:

Não darei nenhum trabalho
nem Ele dará palpite
de que eu seja operário

não vou Lhe exigir erário
e deixe que eu exercite
o meu sono voluntário 

Com postagens assim
o lixo revira o luxo
e o luxo xinfrim

sexta-feira, 4 de maio de 2012


No frio
por um fio
irradia só



Aprenda com essa escola

quem muito olha pro próprio umbigo

vira Avestruz ou Tatu-bola

sábado, 24 de março de 2012


Minha vida é muito pouca
para dar-lhe acabamento
acabando-se as rebarbas
vai-se embora o que há por dentro


Se é tristeza o que me acaba
e por fim são só tormentos
mesmo houve por princípio
sempre dores e lamentos


pois na angústia e sofrimento
é que a mãe nos traz a vida
e sofrendo na saída


se completa o nascimento
e as lágrimas da vinda
também cantam o finimento.

Este leite derramado
era doce e pouco
hoje: um grande amargo

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012


careta assimétrica
teoria deste caos
em retalho persa

da janela triste
bolada de nuvem
cai, como uma luva

Menina do centro:
umbigo pequeno
não cabe-me dentro

barriga de fora
no centro o umbigo
bambino banido