quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Porcozinho da índia (A Manuel Bandeira)

Porcuzinho da índia (A Manuel Bandeira)

O menino me pegava no colo
eu corria, me escondia debaixo do fogão
o menino chorava berrava me queria de novo no colo
...e lá ia eu esperneando para os braços daquele pederastasinho
ele brincava comigo, me deixava contente
ficavamos juntos horas e mais horas
até que ele de novo me pegava distraído
e enfiava o dedo no meu cu...
 
...namorada!!!

Porque não era no daquele filho da puta!!!

Porquinho-da-Índia

Quando eu tinha três anos
Ganhou um porquinho-da-índia.
Que dor de coração me dava
Porque o bicho só queria estar comigo no colo
Me levava pros lugares mais chatos da casa
Pros lugares mais claros mais barulhentos
Eu não gostava:
Queria estar naquele meu canto de chão.
Não fazia caso de nenhuma das suas torturinhas...

- O meu menino era um chato, não era da Índia, não me amava,
não sabia namorar.

sábado, 8 de janeiro de 2011


O pedreio quando canta
é o Roberto Carlos sem smooking ou roupa azul
e o homem assim, puro e sujo
não tem graça nenhuma
para os puros
mas serve
pras putas

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Eu ouço vozes
e as vezes as reconheço
Eu ouço vozes
e as vezes até me esqueço
Eu ouço vozes
e as vezes até respondo
Eu ouço vozes
e as vezes atrás me escondo
Eu ouço vozes
e as vezes até que corro
Eu ouço vozes
e as vezes até me borro
Eu ouço vozes
e as vezes até que clamo
Eu ouço vozes
e as vezes até te chamo
Eu ouço vozes
e as vezes elas me fogem
Eu ouço vozes
e penso que até que podem
ser vozes de morte
ou vozes de sorte

Eu só
"ouço vozes
mas já ouvi 
coisas piores"

vozes
vozes
vozes
vozes de volte