segunda-feira, 30 de março de 2009

Imag-in-ação


Parado
num canto da cidade vi
o peito triste de um homem só

Apaixonado

li
nos olhos
deste homem
triste
as imagens
os espelhos
uma loja de retratos

Aquebrantados

os olhos
Revelavam
a mim
Revelar
vão-me
a Ele
Revelar-me
a mim mesmo
que não revelo a ninguém
o nada de que eu era
e que ainda relevo
se ainda sou

verdade das vaidades:
somos feitiche
um para o outro

dEUs (hai-quase)


-------Deus e eu
entusiasta e melancólica
---imagem e semelhança

o mar



o mar é o artifício sublime do céu
é o espelho de uma outra realidade
a medida que contorna os mundos
é um sonho sonhado por Deus quando moço
o mar é isso, aquilo e todo o resto.

Visa


a mulher que paga
o que não tem preço

O fiel


Certa noite em sonho
o próprio Deus veio até mim e disse:
- o que queres de mim? podes pedir que eu dou-te!!!
eu disse:
- quero tudo, meu senhor, tudo o possível!!!
- então toma - respondeu-me o homem com a cara mais honesta do mundo.
Feliz de ter recebido TUDO QUE PEDI A DEUS, ouvi ele falar:
- agora me dá o teu...
e eu disse:
- o meu não, senhor, o meu não!!!!!

quinta-feira, 26 de março de 2009

Clube da esquina


Brant Borges Nascimento
7 de setembro
da liberdade
3 pontas,
a voz que passa é de Deus
uma bituca jogada
na esquina da pólis divina
com o paraíso

Pai nosso


seja na terra como no céu
perdoai nossas dívidas
pois as deles
(pastor e igreja)
é moral e não se cobra

terça-feira, 17 de março de 2009

que não chega

uma rua atravessa na pressa de entregar uma recordação
na mesma rua leva, também com pressa, passageiros
apreensiva de seu prédio calada e "calma" a mulher aguarda um presente
que nunca chega

mesmo tema

Com flores nas mãos a rua atravessa
Com pressa e apreensão carrega passageiros
Com ilusão se apressa, espera e nega
na multidão
Com solidão e silêncio termina essa história
Com flores e sangue no chão,
cabeça em baixo das mãos
água nos olhos de todos
e corações apressados que se calam

Olha,
a vida passa na sacada
e debaixo dela a briga de casal é uma constante
é cravo e é rosa

arrasada e mal amada
ela reclama o grande amor que ele não deu

ele finge uma overdose de seus gritos
e lento e devagar, abre seus olhos em lágrima

olho no céu, parado,
no infinito de sua culpa
ela é morta

pétala com pétala: um beijo
fúnebre
e um cheiro de rosa no ar

cravo enfeita defunto
rosa é o amor da viúva
como cheiro frio e desfeito
que se dissolve

Era uma vez uma flor...

Descartes


Às vezes eu confundo o dia inteiro com o que vai adiante, o dianteiro, e aí passo horas filosofando sobre coisas que acontecerão no futuro. E me sinto inteligente, e me acho inteligente. Para o bem ou para mal, inteligente eu sou... inteligente...
Ridícula acertiva de um Matemático que um dia disse que pensar era o mesmo que existir. Grande bobagem, como confundir duas palavras tão distintas: uma tão pura com outra tão presunçosa e mesquinha.

sexta-feira, 13 de março de 2009

amargo doce


corta o coração esse teu jeito
navalha de um beijo que parte
leva o doce amargo quando é longe
e amargo é hoje
pode esquecer aquele amor de não
não dá mais pé
a àgua afunda um coração de pedra
e dói até que fure
mas há de ser assim
barco a navegar
cavalgar do vento em sete de setembro
tempo alheio a nós dois
mas esses dois serei só eu
bebo meu café na sala
cheio de espuma
do mar, do ar, do seu estar sobre as águas
então mergulho
mais fundo
mais fundo
mais

Desencontro


- Contaram que a gente era ruim e eu disse não...
- Me faz acreditar então na falsidade...
- Sempre quis aquele carro conversível e ir pras laranjeiras ver jogar o flu...
- Meu filme era mais simples mas mais real. A ilusão nos toma às vezes, não é culpa sua.
- Escrevi teu nome no macarrão, comprei aquela roupa que você nunca usou e sempre gostei do seu sapato...
- Mas meu coração só queria a festa, a praia deserta, a gente brincando de se esconder do tempo...
- Eu fui feliz!
- Muito bem!!! Hoje conheço lugares de nunca. Estou jovem. De certa forma as pessoas estão sempre mais certas que a gente.
- Que dizem de mim?
- Mandaram-me viver de mim mesma. Eles são os que sempre tem razão...

quinta-feira, 12 de março de 2009

Carta


Minha amada,
grave bem o que estou dizendo, quanto mais grave fica a situação mais grave fica a voz da oposição.
Só seus braços finos, a sua voz fina e suave e seu jeito fino podem me suavizar.
Te aguardo agudamente.

no apartamento...


No apartamento ao lado ouço som de gritos e gemidos
no bloco da esquerda uma conversa de fofoqueiras
na direita conversas sobre futebol e a função no bairro
na quadra ao lado sons de foguetório
e no outro bairro, lá longe, não se escuta nada
acho que naquele bairro existam pessoas felizes
digo, consigo mesmas, que não se importam com a vida dos outros
pessoas que vivem de verdade.
Quando eu namorava...
Quando eu jogava futebol...
Quando eu falava da vida alheia...
acho que...
eu nem morava nesse bairro ainda!