segunda-feira, 26 de maio de 2014

Todas Numa

Acássia no cheiro
Bruna nos pelos
Clara na pele
Dolores no peito
Estela nos olhos
Flores nos lábios
Glória no rosto
Hortência no gosto
Ilária no gesto
Janaína no feitiço
Lívia a luz da lua lisa: Luíza

Margarida num sorriso amarelo
Nivea num sorriso sincero
Odara na paz que transmite
Plácida quando se permite
Querubina
Régia Regina
Salvadora Safira
Tulipa: taça de lida
Uma entre mil
Vitória no meio fio,
Xica quando fica,
Zoé
como a vida quer.


segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Dependência (A gente pensa)



a gente só pode falar o que o patrão manda
a gente só pode amar quando o outro ama
a gente só pode gozar com outr@ na cama
a gente não pode esperar se a pressa alcança
a gente não sabe cantar se para a banda
a gente não sabe berrar se a comida chega
a gente não sabe ir pra guerra se o inimigo arrega
a gente só sabe encontrar o que não é exposto
a gente só pode encontrar o que está no outro
a gente só pode embalar quando for criança
a gente só pode de ir a missa de corpo presente
a gente só quer o remédio se se souber doente

Brasil Moderno


Novela: não vê-la
Sertanejo: certo nojo
Universtitário: Universo Otário
Copa: tropa
Manifestação: infestação
Big Brother: Grande bode
Veja: Espia
Bolsa: pouca
Família: Humilha
Funk: Punk!
Rolê: não lê
Shopping: Stoping
Política: Paralítica

sábado, 28 de dezembro de 2013

Soneto do amor e do mar

 
Enquanto o mar vier roubar da praia
as marcas de amor e juras feitas
e o sol deixar sua luz a nossa espreita
e o amor ainda valer coisa que o valha
 
Ainda há de haver saudade estreita;
saudade que com o tempo não se apaga,
mesmo se a água calma a areia afaga
e as marcas de amor ele rejeita.
 
Mas há um mar maior que tudo oprime,
que é a falta de amor em nosso peito.
Este rejeita o mar e o que se exprime
 
na areia. Do mundo não há proveito,
da luz do Sol e Bem ele se exime
e tem no nosso mundo grande efeito.
 
 

sábado, 21 de julho de 2012

Trinta e um

Trinta e um

http://www.gilbertogil.com.br/sec_disco_interno.php?id=57#


E eu que sou mais um
faço tudinho igual todo dia trinta e um
E eu que sou só mais um
passo tão bem ou mal todo dia trinta e um

É que só no meu caso especial
Por acaso, do amor de dois em um
Trinta e um virou dia de natal
E dos meses, julho ganhou mais um

Hoje, portanto, dia bem comum
Vinte e sete eu vou comemorar
Entre tantas canções que eu vou cantar
Esse baião será só dejejum

(refrão)

Outros membros do clã do trinta e um
Não conheço ninguém e isso é normal
Nesse caso, então não tem zunzum
Pra que faltem amigos no sarau

Neste meu trinta e um, não leve a mal
Vou bagunçar a casa do João
Com feijuca, zueira e carnaval
E lhes chamo pra comemoração

quinta-feira, 12 de julho de 2012


Da direita ou da esquerda
que será que a gente herda?
ideais políticos
valores do cívico
ou política de merda!

Corre muito atrás de bola
Não frequenta mais a escola
O melhor do mundo?
Ter cheques com fundo
E mais nada na cachola.